Como a tecnologia deixou a Copa do Mundo mais segura?

Cidadania Digital

No dia 15 de julho, tivemos a grande final da Copa do Mundo 2018, na Rússia sendo a França a conquistar o seu segundo título. E, pelos menos até o fechamento deste texto, não registramos grandes problemas de segurança no evento, seja por conflitos causados por hooligans, atentados terroristas ou casos de falsificação de ingressos. Boa parte dessa calmaria se deve à adoção de tecnologias no futebol por parte do comitê organizador da Copa que garantiu a segurança dos frequentadores.

8 tecnologias que deixaram a copa mais segura

Sistema antifraude para os ingressos

Produzidos pela norte-americana HID Global, os ingressos da Copa contêm um inlay – embutimento- de identificação por radiofrequência (RFID). Fabricado em papel especial que integra vários recursos de segurança exclusivos de um ticket, ele foi projetado exatamente para inibir a falsificação, uma vez que os dados são armazenados no chip RFID de um bilhete criptografado e assinado digitalmente. Com isso, as chances de fraudes com bilhetes falsificados foram reduzidos a praticamente zero.

VAR

Acrônimo para Video Assistant Refere (ou Árbitro Assistente de Vídeo, em português), o VAR é composto por um conjunto de câmeras que transmitem as imagens para uma sala isolada do campo, onde assistentes de vídeo podem rever as jogadas. A partir daí, os assistentes de vídeo reproduzem as imagens em seus monitores e transmitem suas conclusões ao árbitro. É este último que toma a decisão final. Ele pode fazê-lo depois de também consultar as imagens em um monitor localizado na lateral ou confiar exclusivamente no critério dos assistentes.

FAN ID

Para assistir aos jogos, ter apenas o ingresso não foi o suficiente para que o torcedor tivesse acesso ao estádio. Ele também precisava do FAN ID, uma credencial que garante a ida à Rússia sem a necessidade de visto, mas também o uso gratuito do transporte público e às instalações das arenas. A solicitação deste documento eram feita a partir da internet. Ao inserir suas informações pessoais, o histórico do torcedor era checado em um banco de dados, para garantir que ele não tivesse nenhum antecedente criminal.

Goal-Line

Já usada na Copa de 2014, essa tecnologia vem sendo utilizada na Copa da Rússia e agora de forma aperfeiçoada. Um total de 14 câmeras estarão disponíveis em cada uma das traves para determinar com precisão se a bola ultrapassou a linha do gol ou não. Elas são capazes de enviar um sinal para o árbitro em apenas um segundo informando se foi gol ou não. Além disso, a bola que será utilizada na edição deste ano conta ainda com um chip, que deve funcionar como um auxiliar.

O chip na bola da Copa

636458545909676874w

Imagem: Época


A Telstar 18, bola oficial da Copa e produzida pela Adidas, também é dotada de uma respeitável tecnologia. Ela trouxe um chip embutido que funciona como um código de barras e fornecerá à FIFA dados como deslocamento, velocidade, posicionamento global, entre outras informações.

Câmeras nos estádios

A Copa do Mundo da Rússia contou com mais de 8 mil câmeras com inteligência, desenvolvidas pela Intelligent Security Systems (ISS). Elas cobrem todos os pontos críticos do evento, nas arenas, instalações auxiliares e infraestruturas temporárias, como credenciamento, centros de ingressos e identificação de torcedores, postos de controle de veículos, instalações de policiais e funcionários responsáveis pela segurança.

Câmeras nas ruas

Para a Copa da Rússia, Moscou conta com um moderno sistema de vídeo vigilância, com mais de 150 mil câmeras espalhadas por toda a cidade e a infraestrutura da Copa. Muitas delas são configuradas para identificar rostos e placas de carros, seguidos por uma busca das informações registradas em um banco de dados.

Certificado Digital

Embora não seja um nova tecnologia, o Certificado Digital vem ajudando milhares de brasileiros a economizar e gerir melhor o seu tempo. Quem tem Certificado Digital não precisa encurtar ou eliminar suas viagens. Poucas pessoas sabem que o documento eletrônico também pode ser utilizado para assinar qualquer tipo de documento, com validade jurídica, de qualquer hora e lugar do mundo. Basta ter acesso a internet e um sistema que gerencie a assinatura de documentos, como o Portal de Assinaturas Certisign. Veja no vídeo abaixo como funciona:

Você também pode gostar:  Quem é você torcendo na Copa do Mundo?

Fontes: Mos.ru / IT Forum 365 / El País / Meu Positivo com edições Certisign

Deixe seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Lost Password